Confissões de uma Travelholic

Foto por Minh Ha Nguyen
Foto por Minh Ha Nguyen

Foi em uma das minhas viagens esse ano, precisamente durante a decolagem de um voo, que eu pensei em algumas coisas que preciso confessar. Viajar muito nem sempre significa que você sempre fará tudo certo, ou que você já virou profissional de tal forma que tem coragem para tudo, ou até mesmo que nunca perderá um voo.

Durante essa mesma decolagem, ao invés de deixar meu medo de voar – sim, é isso mesmo – tomar de conta dos meus pensamentos, comecei a fazer uma lista na minha cabeça de coisas que eu queria confessar à vocês. E aqui estão elas, as confissões de uma travelholic:

Tenho medo de voar de avião

Nem foi sempre assim; à princípio eu só tinha medo de turbulência. Agora tenho medo da decolagem, de turbulência, da aterrissagem, e ainda fico imaginando coisas durante o voo, tipo que a asa do avião vai quebrar e vamos cair. A boa notícia é que consigo controlar esse medo na maioria das vezes, e por algum motivo sentar ao lado da janela ajuda.

Sempre estou pensando na próxima viagem

Uma travelholic está sempre pensando na próxima viagem. Fico ansiosa quando não sei quando será a próxima, ou se os meus planos vão dar certo. Adoro ficar olhando hotéis nos meus aplicativos, pensando em possíveis itinerários, e reorganizando a minha lista de lugares para visitar. É um vício.

Encho o saco dos meus companheiros de viagem

Durante as minhas viagens, acabo enchendo o saco de quem está comigo, na maioria das vezes o W. Paro para tirar fotos o tempo todo, um pequeno passeio torna-se longo, e a comida provavelmente estará fria até eu conseguir a foto que eu quero.

Me hospedo em hotéis baratos/ruins muitas vezes

Já me hospedei em hotéis só por causa do preço, com alguns tive sorte e eram até legais, outros nem tanto. Contanto que eu faça a viagem, não me importo ficar em hotéis baratos/ruins. Pronto, disse!

Eu não gosto de museus

Não me julgue. Já visitei muitos museus interessantes, como o Louvre, mas sinceramente? Não curto ficar horas andando lentamente pelo lugar, e meia hora observando um objeto, ou aprendendo como tal quadro foi pintado. Eu passo, olho, se eu gostar eu paro, olho rapidinho e depois continuo. Isso significa que nem sempre eu visito os museus de uma certa cidade, a não ser que seja famoso.

Tenho medo de altura mas sempre procuro um lugar com uma vista de cima!

Controverso eu sei, mas é verdade. Eu morro de medo de altura, mas amo uma vista bonita lá do alto, então quando estou viajando sempre busco lugares na cidade onde eu possa ter uma vista linda. Às vezes eu pago um preço por isso, mas na maioria das vezes vale a pena!

Odeio banheiros públicos

Quem não? Especialmente aqueles no meio das estradas ou nas ruas da cidade. O pior é que todo mundo que viaja sabe que usar esses banheiros é algo necessário, e que cedo ou tarde terá que usá-los.

Alguns lugares me fizeram chorar

Há muitos lugares especiais para mim nesse mundo, e alguns deles me fizeram chorar. Talvez porque o tempo que passei lá foi tão maravilhoso que sabia que sentiria saudades, ou porque eu não tinha ideia de quando poderia retornar, ou até mesmo porque eu simplesmente gostaria de ficar lá para sempre. Um bom exemplo para os três casos: as Ilhas Maldivas.

Às vezes faço coisas clichés

Quando você viaja para um lugar, fica tentado em fazer aquelas coisas que todo mundo faz, como passear de gôndola em Veneza, tirar uma foto com a torre de Pisa – fingindo que a está segurando – ou com as pirâmides do Louvre ou do Egito. Eu ainda faço coisas clichês, apesar de que muitas vezes eu faço para mostrar aqui no blog.

Nem sempre gosto da comida local

Sou uma foodie, e amo provar a comida local dos lugares que visito, mas já me decepcionei muitas vezes. Acontece. Às vezes o gosto não era o que você esperava, e ai você se questiona por que as pessoas falam tanto daquela comida!

Eu odeio a Ryanair

Essa é uma importante confissão. Viajei com a Ryanair somente uma vez – bem, duas porque eu precisava voltar – mas nunca viajarei novamente, mesmo que o Príncipe William esteja à bordo, ou que seja de graça. Não me senti segura, e odiei o fato deles passarem o voo inteiro oferecendo coisas para você comprar. Sem contar que você praticamente precisa pagar para respirar dentro do avião, já que tudo tem um preço.

Já perdi um voo!

Falando em voar, eu já perdi um voo, na verdade, mais de um, dois, e três. Somente um foi minha culpa, os outros foram conexões perdidas por conta de atrasos das companhias, mas um voo perdido já foi o suficiente para me ensinar a lição.

Já passei pela segurança do aeroporto com um garfo

Eu juro que não sabia! Nesse dia eu havia usado o garfo para almoçar na universidade, quando eu morava em Genebra, e esqueci de tirá-lo da minha bolsa. O resultado: passei pela segurança do aeroporto de Genebra, e somente horas depois de haver chegado em Munique notei que estava com o garfo e ninguém percebeu. Alguém sabe se dá para levar um garfo na mala de mão, ou é porque a segurança não notou mesmo?

Fico feliz em voltar para casa

Eu amo viajar, e isso não é segredo. Mas também amo chegar em casa. É muito bom dormir na minha cama, usar meu banheiro e abraçar meu cachorro de novo. Mas ai já começo a pensar de novo na próxima viagem.

 

Confessa ai comigo também…