Seguindo a Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

Nos meus tempos de escola, quando ainda morava no Brasil, sempre fui uma estudante muito curiosa quando assunto era a Segunda Guerra Mundial. Apesar do Brasil nunca ter participado tão diretamente nesses tempos sombrios na Europa, por algum motivo sempre fui muito interessada em aprender mais e mais sobre o tema. Não tinha ideia de que um dia casaria com um alemão, com quem aprenderia tanto sobre as consequências desastrosas dessa guerra. Também não tinha ideia que um dia teria a oportunidade de pisar em lugares onde importantes batalhas ocorreram, uma aula de história ao ar livre, graças à Liberation Route Europe.

A Rota da Libertação (Liberation Route) foi o caminho percorrido pelas forças aliadas em busca de libertar a Europa da Alemanha nazista. Tudo começou no Dia D, 6 de junho de 1944 na Normandia, França. As tropas americanas, com o apoio das tropas canadenses e britânicas, percorreram a França, Luxemburgo, Bélgica, Holanda, Alemanha, Itália e Polônia, enfrentando o inimigo cara a cara para libertar cidade após cidade.

Fundada em 2008, a Liberation Route Europe Foundation possui como objetivo homenagear e manter viva a memória daqueles que perderam suas vidas durante a Segunda Guerra para prover paz e liberdade. Em 2012 a fundação conseguiu apoio suficiente pare desenvolver e colocar em prática esse projeto maravilhoso chamado de Liberation Route Europe (LRE), o qual é uma trilha que conecta as regiões onde as forças aliadas passaram no caminho para libertar a Europa.

Há poucas semanas tive a oportunidade de seguir a Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda, inspirada na famosa “Batalha do Bulge”. O nome da batalha pode não ser muito familiar para nós brasileiros, mas foi umas das mais importantes, decisivas e sangrentas da época, um grande passo na libertação da Europa e ao mesmo tempo fracasso de Hitler. Quem tem interesse em descobrir mais sobre ela, pode assistir a famosa série da HBO de 2001, “Band of Brothers”.

Por 3 dias tive uma das mais inesquecíveis aulas de história da minha vida, graças aos guias e historiadores que me forneceram um pouco de seus extensos conhecimentos durante minha visita. Qualquer um de vocês pode fazer a mesma viagem, ou pode também optar por conhecer alguns desses lugares caso esteja de passagem por um dos 3 países. Abaixo vocês encontram o roteiro que percorri, bem como os lugares históricos que visitei ao longo do caminho:

Primeiro dia – Luxemburgo

Luxembourg American Cemetery and Memorial

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

Nem todo mundo sabe, mas o corpo do famoso americano General Patton está enterrado nesse cemitério, que por sinal é um lugar imenso com milhares de soldados que morreram durante a guerra enterrados. Milhares de visitantes passam por lá todos os anos, inclusive veteranos da guerra. Aqui, cada cova tem uma história incrível por trás.

Horários de abertura
Diariamente as 09:00 às 17:00 (exceto 25 de dezembro e 1º de janeiro)
Site oficial

National Museum of Military History de Diekirch

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

Provavelmente um dos museus mais interessantes que já visitei, e olha que não curto museus. De fora nem dá para imaginar o acervo de detalhes que há lá dentro, onde é possível encontrar desde pequenos detalhes até grandes remanescentes da Segunda Guerra. Roupas e objetos de soldados, documentos e fotos originais, tanques, jeeps, armas como diversos tipos de minas (claro que desarmadas), embalagens de comida, pôsters  e até mesmo uma Enigma.

Horários de abertura
De terça – domingo: 10:00 – 18:00
Fechado dia 25 de dezembro, 1º de janeiro e domingo de carnaval.
Entrada: 5 euros por adulto
Site oficial

Tour histórico por Diekirch e Ettelbruck

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

Tanto Diekirch como Ettelbruck foram cidades importantes em Luxemburgo ao fim da Segunda Guerra, onde soldados americanos lutaram cara a cara contra os alemães. Ettelbruck é conhecida como “a cidade de Patton”, onde há um memorial dedicado ao famoso general, bem como um museu com fotografias, artefatos e documentos da época.

Na região é possível visitar pontes que foram construídas por soldados para o transporte de mantimentos de um lado do rio ao outro, bem como a minúscula vila de Goebelsmühle, onde os alemães usavam a estação de trem para conseguir seus mantimentos. A região toda é incrivelmente linda, servindo como um cenário maravilhoso para fazer trilha à pé ou de bicicleta.

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

Segundo dia – Luxemburgo/Bélgica

GI Memorial e CEBA Museum em Clervaux

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

O memorial e o museu estão localizados exatamente onde a história aconteceu, no lindo Castelo de Clervaux, em Luxemburgo. Lá, é possível ver de pertinho o tanque americano (um Sherman M4) original que defendeu a cidade dos alemães, bem como as perfurações de balas nos muros ali ao redor. O destaque aqui é poder ouvir a história e sentir-se parte dela.

Mais informações no site oficial.

Trilha Schumann’s Eck

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

Essa trilha te leva à importantes pontos onde ocorreu a Batalha do Bulge. Por lá, milhares e milhares de soldados tanto alemães quanto americanos, morreram lutando uns contra os outros. Hoje em dia, pela trilha é possível ver os buracos onde os soldados se escondiam, os famosos foxholes, bem como um lugar onde uma bomba explodiu.

Há também uma parte da trilha onde é possível ficar entre os dois lados de onde a guerra ocorreu, de um lado, onde os alemães ficavam, do outro, os americanos, tudo isso à poucos passos um do outro. A Schumann’s Eck é um importante local para Luxemburgo e para a Rota da Libertação, bem como uma memória viva da Batalha do Bulge.

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

Mais informações aqui.

O Bastogne War Museum

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

Dinheiro Marco alemão da época da Segunda Guerra

Uma parada obrigatória para quem está visitando Bastogne, na Bélgica, o museu te leva aos tempos da Segunda Guerra onde você é guiado por 4 personagens fictícios da época. Além de documentos originais (até mesmo uma cópia do livro original de Hitler, Minha Luta), artefatos, fotos e roupas, há também muitos efeitos visuais que explicam como a guerra começou e terminou, focando na Batalha do Bulge, importantíssima para Bastogne.

Para horários de abertura e mais informações, visite Bastogne War Museum

Terceiro dia – Bélgica/Holanda

Tour de Jeep por Bastogne e almoço estilo Segunda Guerra

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

E se eu dissesse que é possível andar em um Jeep original de 1944 do exército americano por Bastogne? Tive a chance de fazer exatamente isso, e de quebra ainda teve uma pausa para almoço estilo soldados da Segunda Guerra. Durante o tour, foi possível também visitar uma pequena vila que foi praticamente inteira destruída, Sainlez, e um cemitério de soldados alemães, o German War Cemetery Recogne, um lugar incrivelmente triste onde milhares de soldados alemães bem jovens (alguns até mesmo com 14 anos de idade) estão enterrados.

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

Mausoléu no cemitério dos soldados alemães

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

Almoço dos soldados como nos tempos da Segunda Guerra. Nosso almoço, no entanto, foi bem melhor do que eles costumavam comer.

Para mais informações sobre o tour de jeep, visite o site da Ardennes White Star

Netherlands American Cemetery and Memorial em Margraten

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

A última parada do roteiro foi no único cemitério americano dedicado a soldados na Holanda. Lá, mais de 8,000 soldados estão enterrados, e além da beleza da entrada, outro destaque é que pessoas da comunidade local adotam covas para cuidar e visitar. As mesmas são passadas de geração em geração, e há muitas histórias interessantes sobre o relacionamento das famílias americanas dos soldados com as pessoas que adotam as covas.

Horário de abertura
Diariamente das 09:00 às 17:00 (exceto 25 de dezembro e 1º de janeiro)
Site oficial

Bom saber

Cada lugar histórico ao longo da Rota da Libertação é verificado e comprovado por historiadores e espertos. A fundação Liberation Route trabalha com mais de 150 organizações parceiras e membros, é ativa em 8 países europeus e promove mais de 300 sítios históricos e memoriais pela Europa.

Onde se hospedar ao longo da rota

Hotel des Ardennes, Hoscheid, Luxemburgo
Nuts Castle, Bastogne, Bélgica
Durante a Segunda Guerra, esse lindo castelo serviu como base para os soldados americanos da Airborne da 101ª divisão durante a Batalha do Bulge.

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

Onde comer ao longo da rota

Gudd Dikrich, Diekirch, Luxemburgo
La Fourchette Dorée, Wiltz, Luxemburgo
Le Nut’s, Bastogne, Bélgica
De Pastory at Cadier & Keer, Cadier en Keer, Holanda

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

Faça a mesma viagem

Você também pode fazer a mesma viagem que eu e ainda incluir mais pontos históricos ao longo do caminho. É possível fazer a rota também a pé ou de bicicleta, tudo está sendo devidamente marcado na rota com placas. Dá para usar o app da Liberation Route, o qual inclui cada local histórico com informações detalhadas, incluindo um mapa integrado que te ajuda a chegar na localização. Também dá para acessar o site oficial e pedir dicas e sugestões da Liberation Route. A fundação possui planos de fazer um site em português.

Você já teve a chance de visitar algum desses locais históricos? Possui alguma pergunta sobre a Liberation Route?

 

Pin esse post!

Roteiro Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda

Fui convidada pela Liberation Route Foundation para participar em uma press trip em abril de 2017 para seguir a Rota da Libertação por Luxemburgo, Bélgica e Holanda. Estou orgulhosa e honrada em poder apoiar e ajudar a fundação em promover projeto tão incrível.