14 coisas que amei e odiei no Marrocos

Fez, Marrocos

Sempre espero o melhor das pessoas e dos lugares. Não importa para onde estou indo, sempre estou empolgada e cheia de expectativas positivas. Todo lugar tem seus altos e baixos, prós e contras. Antes da minha recente viagem ao Marrocos minhas pesquisas me prepararam para o bonito e o feio, mas não o suficiente.

Algumas das coisas com as quais me deparei já eram esperadas, outras nem tanto. Nossa viagem ao Marrocos foi marcada por momentos bons e ruins, bonitos e feios, divertidos e sem noção, relaxantes e engraçados, mas principalmente estressantes. As redes sociais nem sempre mostram o lado negro de uma viagem, e ao mesmo tempo também não conseguem expressar o lado bom o suficiente, é aí que a escrita se torna mais importante que postar fotos lindas. Por que? Porque palavras são ferramentas poderosas para te preparar para o pior, e se usadas cuidadosamente, de uma forma delicada.

Se vocês seguiram a minha viagem ao Marrocos nas redes sociais, há grandes chances de que os fiz se apaixonarem pelo país e quererem embarcar em um avião imediatamente. No entanto, vocês também precisam saber que nem tudo no país são flores, e que há seu lado difícil. Apesar se eu sempre tentar focar no lado positivo das coisas, às vezes a verdade precisa ser dita, afinal de contas minha intenção aqui é ajuda-los como posso, isso inclui também abrir seus olhos.

Enquanto ainda estava na viagem, em um dos dias decidi que era hora de fazer uma lista. No momento em que comecei a escrevê-la, meus pensamentos e sentimentos estavam à mil. Alguns dias depois, reli minhas observações e ainda concordei com cada um dos pontos. Para cada item negativo, escrevi um positivo, o que resultou nessa lista com 14 coisas que amei e odiei no Marrocos:

– O incessante assédio dos vendedores

Em praticamente todo post e artigo que lerem sobre o Marrocos, encontrarão a mesma reclamação em comum: como as pessoas assediam turistas para comprar algo, para dar informações em troca de dinheiro, para tirar fotos com macacos, entre outras. Acreditem, eles não estão exagerando, nem inventando história. Após alguns dias no país começarão a duvidar se as pessoas realmente entendam o que não significa e passarão a usar a palavra em árabe só para ter certeza. Infelizmente não funcionará. A partir do momento que eles vêm turista escrito nas suas testas, podem esquecer.

O negócio é que eles não só te oferecem uma vez, se fosse assim seria fácil entender, mas eles chegam ao ponto de seguirem a pessoa mesmo que a mesma os estejam ignorando ou dizendo que não estão interessados. É simplesmente irritante. Nos primeiros dias vocês serão tímidos e educados, depois de duas semanas serão firmes e grosseiros. Para quem, como eu, normalmente tem problema em dizer não às pessoas, o Marrocos irá os ensinar como.

O triste é nem dá para se sentir à vontade para parar em um lugar e olhar mais de perto algo que gostaram, e acabarão não o fazendo só para evitar o assédio. Quantas vezes não quis parar e dar uma olhadinha em algo que gostei sem compromisso e desisti quando o vendedor se aproximou?

Fez, Marrocos

+ É um país incrivelmente fotogênico

Para mim, essa já é razão suficiente para retornar ao Marrocos um dia. O país é incrivelmente fotogênico. Portas e janelas, palácios e escolas islâmicas, mesquitas e museus, jardins e ruas, montanhas e lagos, mar e cachoeiras. Sim, o Marrocos é impressionante, e não é difícil voltar para casa com milhares de fotos.

– É necessário negociar o tempo INTEIRO

Seus dias no Marrocos serão repletos de negociações. Para quem gosta de barganhar, sorte, para quem odeia ou não leva jeito, um pesadelo. É necessário negociar tudo o tempo inteiro, com o taxista, o vendedor do mercadinho, nos souks, nos mercados, até mesmo com a loja da empresa de telecomunicações. Depois de alguns dias torna-se cansativo, e muitas vezes vocês irão pagar qualquer preço que pedirem só para não ter que negociar.

+ Riquíssimo em cultura

Sou uma pessoa bem curiosa quando o assunto é cultura diferente. Adoro conversar com os locais, fazer perguntas e ouvir suas histórias, tradições e como vivem suas vidas. Até o momento, o Marrocos foi o país mais diferente e rico em cultura que já visitei. Para quem se interessa por culturas diferentes, irá amar o Marrocos.

Montanhas Atlas, Marrocos

– É sujo e anti-higiênico

As ruas das medinas em particular, é um choque. De todas as cidades que visitamos, as medinas de Marrakesh e Chefchaouen foram as mais “limpas”. Papéis, plástico, ratos mortos e pedaços de animais mortos como cabeça de galinha, moscas em todo lugar, fezes (humana e animal), e lixo, muito lixo, sacolas de plástico cheias de lixo jogadas pelas ruas. Sim, fede e é nojento, alguns riads e hotéis possuem umas tampas especiais para os ralos dos banheiros para evitar o mal cheiro.

Nas estradas dá para ver lixo em todo lugar, até mesmo no deserto e em lindas cachoeiras, para a minha decepção. Dá para culpar a falta de educação das pessoas porque o Marrocos é um país pobre? Provavelmente sim, mas é difícil entender que as mesmas pessoas que dependem tanto do turismo, não se importam em cuidar do meio ambiente. É simplesmente triste.

E a higiene? Só digo uma coisa, dá para entender porque todo mundo sempre fala para tomar cuidado com o que se come no Marrocos. Vocês querem saber esse tipo de detalhe? Provavelmente não, mas sinceridade é o que não falta nesse post.

+ A arquitetura antiga é incrível

As medinas, ou centros antigos, são um paraíso para os admiradores de arquitetura. Por todos os lugares irão encontrar antigos portões, portas e janelas, degraus coloridos, mesquitas e palácios, e uma linda variedade de azulejos. É inspirador!

Marrakesh, Marrocos

– As pessoas sempre estão tentando te extorquir

Depois do assédio, essa é a coisa mais irritante para um turista no Marrocos. Não importa como, as pessoas sempre tentam tirar vantagem e passar a perna nas pessoas quando o assunto é dinheiro. O taxista diz que a mesma corrida que vocês fizeram naquele mesmo dia pela manhã, custa o dobro à noite (mentira); ele também irá cobrar mais caro se disserem que estão hospedados em um hotel famoso.

Um vendedor de tapetes dirá que o tapete em que vocês estão interessados custa 900dhm, mas que no final o acaba vendendo por 250dhm. Muitas vezes vocês estarão andando em busca de uma atração que deseja visitar, quando uma pessoa irá oferecer as direções de como chegar lá (muitas vezes errada propositalmente) só para pedir dinheiro depois. Irritante, não é?

+ As paisagens são extraordinárias

É de tirar o fôlego e cair o queixo. De norte à sul, em apenas poucos quilômetros, é incrível como a paisagem muda. O Marrocos possui de tudo, desde a segunda montanha mais alta da África do Norte, as Montanhas Atlas, até o mar, lindas cachoeiras, lagos e praias, florestas, cânions, abundância de palmeiras e oliveiras, cavernas, e claro, deserto. É um país inacreditavelmente lindo; seus olhos nem vão acreditar no que irão ver.

Todres Gorges, Marrocos

– As pessoas não explicam nada e esperam que vocês entendam

Pode até ser um problema com a comunicação, o que definitivamente não foi o nosso caso já que falo francês (uma das línguas oficiais do Marrocos, mesmo que muitos não a falem bem), mas as pessoas simplesmente não explicam como as coisas funcionam. O que quero dizer com isso? Estou me referindo ao cara da empresa de ônibus, o qual me vendeu um bilhete e disse que eu precisava pagar 5dhm pelas malas, mas não explicou a quem eu deveria pagar (achei que era para o motorista, o qual não aceitou o pagamento) só para depois ir me cobrar quando eu já estava dentro do ônibus.

Também estou me referindo ao vendedor da loja de telecomunicações que nos vendeu 4GB de internet e não mencionou que só era válido por 1 semana (precisávamos para 2 semanas); aos atendentes da estação de trem que nos deixou ficar em uma fila inexistente olhando para nossas caras sem avisar que eles estavam fechados (não havia nenhum aviso) e que precisávamos ir ao outro guichê; e posso continuar…

+ Chá de menta e Cuscuz

Se tem algo que amei no Marrocos foi essa tradição de beber chá de menta o tempo inteiro. No café da manhã, almoço, jantar ou no lanche, lá está o chá de menta como se fosse um café. É lindo ver como é servido, além de ser saudável e deliciosamente docinho. Ah, e o cuscuz? Não é aquele amarelinho que comemos no Brasil, é feito de sêmola, lembra arroz, pois bem, ninguém sabe fazer esse melhor que os marroquinos!

Chá de menta, Marrocos

– A forma como as pessoas olham para os turistas

Para muitos marroquinos, turistas parecem ser algo de outro planeta. É compreensível, nós podemos parecer, nos vestir e agir diferente, então é normal que nos olhem. A não ser que essa forma de olhar seja ameaçadora e extremamente desconfortável. O melhor exemplo que posso dar foi o dia em que eu e o W. fomos no café mais famoso de Tanger.

Quando chegamos vimos que a maioria das pessoas eram locais, o lugar estava lotado e assim que demos os primeiros passos para procurar uma mesa, todo mundo parou para olhar e nos seguir com seus olhares. Haviam mais de 40 pessoas facinho. Nem 5 minutos passaram até decidirmos ir embora. Nunca me senti tão desconfortável em um lugar na minha vida, até deu medo. Também nunca tive que sair de um lugar porque as pessoas não paravam de olhar para mim de uma forma ameaçadora. Definitivamente não foi meu momento favorito da viagem.

+ O vinho

Quem diria que o Marrocos como país muçulmano produzisse vinho? Pois bem, eles produzem um vinho divino! A especialidade é Gris (cinza), o qual é uma mistura de tinto com branco, servido frio. Foi um dos melhores vinhos que já provei e me arrependo de não ter tido espaço suficiente na mala para trazer algumas garrafas, já que aqui na Europa uma garrafa custa mais de 15 Euros!

Vinho marroquino

– A forma como os homens olham para as mulheres

Como brasileira isso não deveria ter me incomodado tanto, mas a forma como os marroquinos olham para as mulheres não é comparável à forma como os brasileiros olham. Vocês poderão estar usando uma burca, eles irão olhar, poderão estar com um homem ao seu lado, eles vão olhar, e o problema está na forma agressiva como olham. Eles não se importam com o tanto que isso te incomoda, quando mais incomodar melhor, eles se sentem bem fazendo isso, o que é o pior de tudo.

+ Apesar de tudo, existem pessoas maravilhosas e honestas no Marrocos

Tivemos experiências ruins? Definitivamente. Algumas pessoas foram desonestas e desrespeitosas? Sim. Mas também conhecemos pessoas maravilhosas e honestas pelo caminho. Algumas nos ajudaram sem pedir dinheiro em troca, outras nos deram uma lembrancinha ou nos ofereceram chá, também tivemos taxistas honestos e que nos ajudaram, e pessoas que apenas sorriram para a gente nas ruas.

Desculpem a sinceridade, a vida real está além de uma foto bonita. Nossa viagem ao Marrocos foi uma jornada de aprendizado, foi linda e feia. Valeu a pena? Muito. Voltaríamos? Definitivamente. Recomendamos? Sim, aos viajantes de mente aberta.

 

Pin esse post!

Coisas que amei e odiei no Marrocos