Avaliação: Esquina Mocotó, São Paulo

Esquina Mocotó, São Paulo

Se tem uma coisa que adoro fazer no meu primeiro dia no Brasil sempre que vou, é comer as coisas que mais sinto saudades morando aqui na Alemanha. Na minha mais recente visita, fiz questão de ir provar a comida do restaurante que está na boca do povo em São Paulo, o Esquina Mocotó, onde é possível comer a comida típica da minha terrinha, o Nordeste, em uma versão gourmet.

Tanto o restaurante como o chef, Rodrigo Oliveira, receberam prêmios nacionais. Ele foi eleito o chef do ano, e o Esquina Mocotó passou a fazer parte do tão famoso guia Michelin. O mais interessante é que se você for lá no site e ver o cardápio, vai notar algo difícil de acreditar: está longe de ser caro, o prato com preço mais alto custa em torno de R$45,00.

Prêmios
Prêmios

Depois de dar uma olhada no cardápio online deles, checar os preços e as recomendações, não tinha como eu não ir lá. Então fiz uma reserva com antecedência já que ouvi dizer que pode ser difícil conseguir uma mesa. Para a minha surpresa, quando cheguei para o almoço em uma Quarta-feira, o restaurante estava bem calmo, diferente dos finais de semana e feriados.

Então no nosso primeiro dia no Brasil, o W e eu fomos provar a versão gourmet da comida nordestina, feita por alguém muito criativo e corajoso por inovar o tradicional. Mas antes que eu revele o que eu achei do lugar, me acompanhe para um almoço.

Bebidas

Pedi um simples suco de limão – sem casca – e o W, claro, uma cerveja artesanal – produzida por eles mesmos:

Esquina Mocotó, São Paulo

Esquina Mocotó, São Paulo

Couver

Antes de nossas entradas chegarem, comemos uns pães artesanais, com azeite e manteiga temperada com semente de umburana:

Esquina Mocotó, São Paulo

Entradas

Como entradas, pedimos – provavelmente um pouco demais, mas sem arrependimentos – dadinhos de tapioca e bolinhos de carne de sol artesanal com cebola roxa refogada. Sinceramente? Bom demais.

Dadinhos de tapioca
Dadinhos de tapioca

Esquina Mocotó, São Paulo

Bolinhas de carne de sol
Bolinhas de carne de sol

Tivemos ainda uma entrada extra, a qual veio junto com o prato do dia que o W escolheu. Ele não estava muito interessando em provar, então decidi me aventurar. Era um peixe cru – Beijúpirá – com abobrinha e verbena. Uma mistura estranha demais para o meu gosto. Não curti.

Esquina Mocotó, São Paulo

Pratos principais

Mas ai vieram nossos pratos principais. Escolhi a carne de sol artesanal com baião de dois sertanejo e confit de cebola roxa. O W optou pela Steak de paleta com purê de batata e farofa de pão, de dar água na boca:

Esquina Mocotó, São Paulo
Carne de sol com baião de dois sertanejo e confit de cebola roxa 
Esquina Mocotó, São Paulo
Steak de paleta com purê de batata e farofa de pão

Sobremesa

Ainda tem espaço para uma sobremesa? Sim, claro. Minha escolha: bolo de especiarias, sorvete de doce de leite e crumble de cacau. Quase perfeito, mas no bolinho tinha cravo, que não curto. O gosto estava tão forte que até mascarou o gosto do café, que também não gosto. Mas, está perdoado, porque esses crumbles e esse sorvete estavam divinos!

Esquina Mocotó, São Paulo

A escolha do W foi: sorvete de maracujá, pedacinhos de mangas frescas, suspiro de pimenta rosa e calda de manga. Estranho, mas maravilhoso!

Esquina Mocotó, São Paulo

Um toque final

E para finalizar em grande estilo, por conta da casa, o W provou um shot de cachaça com baunilha:

Esquina Mocotó, São Paulo

E eu, um Lollipop Rossini, um coquetel feito com Prosecco, licor e purê de morango. Atenção ao detalhe: morango desidratado ao redor da taça, só porque!

Esquina Mocotó, São Paulo

 Claro, não resisti e provei o morango desidratado, não ia deixar essa passar.

Esquina Mocotó, São Paulo

Highlights

  • O baião de dois pecado! O melhor que já comi?
  • O Lollipop Rossini!

Bom saber

  • O restaurante é bem longe do centro de São Paulo, fica na zona norte;
  • Não abre às Segundas-feiras;
  • Não é um lugar chique. E quem disse que para servir comida boa precisa de frescura?
  • Faça uma reserva com antecedência, especialmente se planeja ir em um fim de semana ou feriado. Caso contrário, terá que esperar um bom tempo para conseguir uma mesa;
  • O restaurante ao lado direito – Mocotó – é do pai do Rodrigo, onde tudo começou;
  • Fique de olho no site deles pois de vez em quando há uma oferta do menu da semana por um precinho mais camarada ainda.

Um pouco de sinceridade

Amei! Eu definitivamente recomendo e com certeza voltaria. Mas que é uma viagem do centro de São Paulo até lá isso é.

 

O Veredito

 

A Localização

Provavelmente o único ponto negativo. A localização não é prática para quem vem do centro de São Paulo. É melhor reservar um bom tempo e dinheiro para táxi.

O Ambiente

Colorido, simpático e convidativo, com músicas nordestinas tocando ao fundo e um barzinho de onde dá para ver a cozinha.

O Serviço

Serviço maravilhoso, atencioso e rápido. O chef veio à nossa mesa nos cumprimentar e explicar os pratos. Aparentemente é típico dele fazer isso. Legal não?

A Organização

Muito organizado!

O Cardápio

Muito criativo e variado, oferecendo os principais pratos típicos nordestinos.

A Comida

Comida maravilhosa, bem preparada, super bem apresentada e muito criativa.

A Bebida

Ótimas opções de cerveja – incluindo a artesanal – sucos da fruta e coquetéis bem criativos e inovadores.

Preço x Qualidade

Preço incrível e inacreditável, a qualidade nem se fala, de altos padrões.

 

Quantas suitcases esse restaurante merece?

5-star

 Esquina Mocotó, São Paulo

Esquina Mocotó

Chef: Rodrigo Oliveira

Av. Nossa Senhora do Loreto, 1108 – Vila Medeiros

São Paulo

Reservas

 

Divulgação: todos os custos foram meus, exceto o dos coquetéis que foram gentilmente oferecidos pelo restaurante. Claro, a opinião sobre o lugar é exclusivamente minha.