Bahamas: a viagem que não deu certo

Bahamas, por Packing my Suitcase

É, nem toda viagem ocorre como planejamos ou como esperamos, não é mesmo? Eu também já fiz viagens que não deram certo, e achei legal compartilhar com vocês a pior delas. Afinal de contas, o Packing my Suitcase também está aqui para ajudá-los a não cometer os mesmos erros que eu.

Aposto que quando vocês leram o título desse post, provavelmente pensaram: como é que uma viagem para as Bahamas pode ter dado errado? Bom meus queridos leitores, eu também não pude prever isso, nem meu pai, nem minhas irmãs!

Em Julho de 2010 eu estava em Miami com meu pai e minhas duas irmãs por alguns dias. No nosso hotel – um bem conhecido por sinal – havia um agente de turismo vendendo alguns day tours, e 2 opções em particular chamaram nossa atenção: uma para as ilhas Bahamas, e outra para Key West. Pensamos em talvez fazer uma das duas se tivéssemos um tempo livre no nosso último dia na cidade. Acabamos decidindo fazer a de Bahamas; meu pai estava tão empolgado que parecia uma criança!

A viagem não foi barata, não lembro exatamente o preço, mas era algo em torno de U$ 400 por pessoa. O itinerário da viagem era o seguinte: sairíamos do porto de Fort Lauderdale e ficaríamos em Freeport, Bahamas por algumas horas e depois retornaríamos à Miami no final do dia. O pacote incluía as passagens para o navio e os transfers ida e volta do porto para o hotel. O agente de turismo nos recomendou a viagem e disse que o navio era enorme com piscina e cassino. Já que iríamos passar 10 horas à bordo – 5 para ir e outras 5 para voltar – achamos isso ótimo, pois iríamos nos manter ocupados durante a viagem!

Para a nossa surpresa, ou não, o navio estava longe do que esperávamos que ele fosse! Certo, ele era grande, mas acho que o agente esqueceu de nos avisar que o navio inteiro cheirava à mofo e que um filme pornô seria gravado na piscina durante a viagem! Olhamos uns para os outros e pensamos: não é tão ruim assim, só são 10 horas! Infelizmente não sabíamos como essas 10 horas seriam longas!

Eu não conseguia parar de espirrar por causa do mofo, mas pelo menos meu pai se divertiu jogando nas maquininhas do “cassino” dando mais dinheiro ainda para o navio fedorento! Depois das primeiras 5 horas, chegamos em Freeport. Vimos um daqueles navios transatlânticos maravilhosos e pensamos como seria um sonho se o nosso navio fosse um daqueles!

Esse definitivamente não foi o nosso navio!

Esse definitivamente não foi o nosso navio!

Tivemos apenar 3 horas nas Bahamas. O suficiente para comer em um restaurante Grego que meu pai e minhas irmãs odiaram, e que quase não conseguíamos pagar a conta, pois parecia que ninguém estava à fim de trabalhar. Depois de dar uma volta pela cidade, meu humor mudou de esperançoso para muito ruim. Todos já estavam de mal humor, mas ninguém queria admitir que essa viagem foi uma péssima ideia.

Encontramos um hotel bem legal onde meu pai aproveitou para jogar no cassino e eu para ir à praia com uma das minhas irmãs, pelo menos para dizer: eba, visitamos as Bahamas! E essas foram as poucas fotos que o meu humor me permitiu tirar da ilha:

Bahamas, por Packing my Suitcase

Bahamas, por Packing my Suitcase

Bahamas, por Packing my Suitcase

Quando chegou a hora de voltarmos para o navio, todos já estavam estressados e reclamando. Que é isso! São só mais 5 horas e acaba! Como vocês podem imaginar, as últimas 5 horas pareceram ser um dia inteiro. Estávamos mortos de cansados sentados nas cadeiras desconfortáveis no topo do navio, só rindo da situação:

10 horas em um navio fedorento com pessoas estranhas, só para passarmos 3 horas nas Bahamas, comer comida ruim, perder dinheiro para os cassinos e tirar 2 fotos das águas lindas da ilha. Ah, espera que tem mais!

Enquanto estávamos deitados nas cadeiras, tentando dar um cochilo, um cara bem estranho não tirava os olhos da minha irmã mais nova e começou a se aproximar, até sentar ao lado dela. Tivemos que mudar de lugar porque o cara não se tocava!

Está pensando que acabou? Quando finalmente chegamos de volta em Fort Lauderdale e encontramos a van que nos levaria de volta ao hotel, uma tempestade caiu – digo uma tempestade mesmo – e dois passageiros ainda faltavam. Adivinha? Depois de esperarmos mais de 2 horas por esses passageiros dentro do carro, descobriram que eles já estavam presentes todo esse tempo! Nem me pergunte como isso aconteceu, nesse dia tudo era possível. No final das contas, saímos do hotel às 7:00 da manhã e voltamos às 2:00 da madrugada… e no dia seguinte eu tive que dirigir de Miami até Orlando, mas essa já é outra história, foi um sucesso!

 Ah, e adivinha quem levou a culpa por essa viagem? EU! Só porque eu era quem falava Inglês.

DSC01085 Normalmente eu não coloco fotos minhas aqui no blog, mas tive que mostrar para vocês a minha cara de bom humor nesse dia.

Então minha dica para vocês é: não faça um day tour para as Bahamas, e se fizer, tenha certeza de que o seu navio seja bom!

Vocês já fizeram alguma viagem que não deu certo? Por favor compartilhe a sua, assim eu me sinto menos mal com a minha!